Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

nabodogato

nabodogato

Mais uma que aprendi

 

No meu prédio havia um vizinho que tomava conta do condomínio e assim fez por anos consecutivos.

Claro que fica sempre uma pontinha de desconfiança pela simpatia que ele tinha pelas reparações no prédio e pela pintura geral que logo que veio as primeiras chuvas a tinta foi com a água. Num destes últimos anos porque o prédio que não foi devidamente isolado começou a ter frisuras e alguns vizinhos insistiram para que se fizessem obras de isolamento.

Como não há muitos anos que houve a pintura geral do prédio e tem-se anualmente gasto o valor apurado nas pequenas reparações de sua simpatia, não há ainda verba suficiente e entre a vergonha de ter de levar uma lavagem de cara em assembleia e a insistência por parte de vizinhos pelo isolamento, ele desistiu da administração.

Claro que, eu incluído, não houve quem aceitasse a administração numa forma de o pressionar a ficar porque não é só quando há dinheiro para as suas obras de simpatia, agora que há chatices há que resolvê-las.

O bom do homem terá sabido que um familiar de pessoa amiga tinha uma empresa de administração de condomínios e eis que se faz uma luz, está encontrada a solução para o seu problema.

O primeiro passo foi marcar uma assembleia para entregar a administração à sua empresa, para isso um advogado faria o trabalho sujo e o resultado seria uma limpeza, os papalvos nem se aperceberiam onde se estavam a meter.

O advogado impõe a eleição da administração e até sugere que isso seja entregue à empresa, mas um grupo opôs-se e exigiu que a administração tenha de ser do prédio e depois se votaria se com apoio ou não.

As votações eram sempre apresentadas de forma ardilosa e com o único propósito de vencerem os interesses pré estabelecidos. Como houve alguma contestação foi notória a pré domesticação d’um significativo número de condóminos de forma a votarem sempre de acordo com os desejos da mesa.

Não sabemos se o advogado é também sócio da empresa mas lá que pareceu isso foi por demais evidente. É que não vislumbramos que seja possível alguém sério sujeitar-se a esse papel e até como sabemos em algumas reuniões de condomínio estar sujeita a alguma agressão física, porque verbal era por demais evidente que aconteceu. A que preço alguém se sujeita a isso? Pois ninguém conseguiu saber, aliás diz a empresa que aquele até foi um trabalho gratuito.

Não vale a pena entrar em muitos detalhes até para não identificar a situação concreta, na altura foi pensado apresentar queixa na Ordem mas ninguém tem tempo para chatices, esse não é o nosso modo de vida.

Como tudo estava pré alinhavado resultou no cozinhado perfeito e ficou a empresa a administrar com reporte a um administrador do prédio a partir de 1 de Março.

Lógico que ficaram avisados que no novo ano havia nova batalha, daí só marcaram a assembleia para apresentação de contas no fim do mês de Março e ninguém deu contas dos meses de Janeiro e Fevereiro do ano vencido. Ou seja passou a contar um ano de serviço em lugar do ano civil porque sabiam com o que contavam.

Evidentemente na assembleia foi votada nova direção e votado a dispensa do apoio da empresa. E eis que a empresa como retaliação não entrega a ata da assembleia, a documentação, as chaves, etc. e assim impossibilitam a posse da nova administração e o acesso á conta bancária.

Marca-se uma data para entrega e dizem que está tudo em poder do advogado deles sem dizerem quem é.

Estamos agora na eminencia de ficar sem eletricidade, sem elevadores, sem água, sem limpeza, etc. É uma situação que é um aviso a todos os condóminos que contratem  empresas de administração de condomínos e até um mau exemplo com prejuízos para os colegas do ramo.

Como ainda não há legislação que regule a atividade, ficamos ao dispor dos prazos e legalidade para marcar uma assembleia e depois do calendário do tribunal para uma solução para as calendas gregas.

Desde os primeiros momentos que a empresa deu mostras de que seriedade não era coisa que por ali abundasse, mas como o que vence são as maiorias e quando estas estão ludibriadas é tramado.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Favoritos

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D