Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

nabodogato

nabodogato

Constitucionalidades à parte

Ouvi ontem, num canal de televisão, um debate sobre a constitucionalidade do corte dos subsídios.

Nele, o Dr. Marinho Pinto afirmava que os juízes eram funcionários públicos (funcionários do Estado digo eu), que também lhes doía os cortes nos subsídios e como tal julgaram em causa própria.

Muitos deles inclusivamente têm as mulheres também a trabalhar no Estado e são logo dois o que faz muita mossa, o dinheiro dá muito jeito a todos, trabalha-se para conseguir dinheiro. Veja-se até o Presidente da República que se veio queixar, porque também lhe mexeram nas reformas.

Sabemos que os juízes do Constitucional deram a volta ao assunto porque o que se passava era que o Estado, tendo necessidade de cortar nas despesas, cortou nos subsídios a pagar aos funcionários e não criou um imposto (se bem percebi).

É de conhecimento geral que os funcionários públicos tinham um tipo de regalias como a segurança no emprego, ganhavam mais e não estavam sujeitos a redução de ordenados e aos dissabores que os dos privados têm.

Logo, uma vez que o patrão passa por dificuldades e não pode pagar os subsídios (como quando uma empresa não vende e reduz ordenados e gastos com pessoal), era aceitável a medida.

Aliás, nunca antes o Tribunal Constitucional se preocupou com o facto de os funcionários do sector privado tivessem menos regalias, só agora que lhes tocou pela porta é que reclamam que é discriminatório serem chamados a sacrifícios, que não são para a generalidade da população.

Já a Ministra da Justiça teria vindo a Público pressionar o Tribunal Constitucional porque este não podia decidir contra a decisão do governo, pois seria o descalabro nos compromissos assumidos internacionalmente, mas mesmo assim o Tribunal não lhe deu ouvidos.

Eu não estou sempre do lado da visão do Dr. Marinho Pinto, mas aprecio o seu lado diferente de ver as coisas e o de não perder uma oportunidade para espetar uma alfinetada nos seus inimigos e os atacar com coragem e destemor.

No entanto, desta vez acho que tem alguma razão porque, no fundo, a sociedade dá cada vez mais sinais do quanto são mesquinhos e egoístas as actuais personalidades que pululam na nossa praça. Veja-se o caso das reformas do PR, o caso do Relvas, o caso do Catroga/Edp, o caso da CGD, o caso do Metro do Porto, o caso dos boys em cargos públicos, o caso dos subsídios de férias dos dirigente/consultores do governo, o caso dos enfermeiros a 3,96€, os médicos a 4€, do arquitecto a 500€, dos salários que estão a ser oferecidos a quem procura emprego (basta consultar as ofertas de emprego que estão na internet), etc.

Toda a gente olha a forma de tirar o máximo ganho e o mais rapidamente possível.

Quer-se um funcionário formado, a dominar línguas, a dominar informática, bem vestido, boa imagem, culto, etc. a troco de 500€, a actualidade dos mercados não permite pagar mais, e nós a vermos as facturações, eles a vangloriarem-se dos ganhos conseguidos, a fazerem vidas faustosas, contas chorudas em paraísos fiscais.

Tem razão Dr. Marinho Pinto, há muita gente e gente a mais por todo o lado que apenas olha para o seu umbigo.

É tempo de dizermos que não nos tomam por parvos e terem de gramar com as verdades escarrapachadas na cara.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Favoritos

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D